Friday, February 26, 2010

quatro, cinco, seis...


Isto podia correr muito mal se tivesse cedido à manobra dos simpáticos senhores das papas convencionais (com açúcar), que gentilmente ofereceram uma amostra, assim que ele fez 4 mêses.
Será que deve ser a Nutribén ou a Milupa a decidir ? I don't think so.. o seu gosto vai sendo educado.. Afinal, ninguém lhe passa pela cabeça, digo eu, dar gomas em vez do almoço só porque a criança gosta mais.

Wednesday, February 24, 2010

Um, dois, três, uma colher de cada vez..


E aí está, a sua primeira papa aos 5 mêses e meio. Até não correu mal.. intercalado com a chucha.

Thursday, February 11, 2010


Já não deve faltar muito para quererem dormir os dois juntos..

Tuesday, February 9, 2010

Monday, February 8, 2010

Quando falta a água quente em pleno Inverno no meio de um duche com a cabeça cheia de shampô, não é azar, é sarcasmo..
E as coisas que passam pela cabeça.. e as que se gritam para afastar o frio?

"Pelomenos tenho água.. eu tomo banho com água potável.. esta água bebe-se!
O frio é uma ilusão.. mas eu já não sinto os pés. Se calhar não tenho pés.
Vou processar a Vulcano
Isto faz reumático
O frio ajuda a desenvolver o carácter.. O frio ajuda a desenvolver o carácter.
O frio ajuda a desenvolver o carácter.."

Sunday, February 7, 2010

Saturday, February 6, 2010


A avó Bel faz hoje anos..
Toda a minha infância passa pela avó Bel. Foi ela que me ensinou a lêr, a escrever, a fazer contas de dividir, a prova dos nove. (Ao dizer isto estou a lembrar-me de alguns momentos passados sentada à mesa da sala com cadernos abertos, ávida por aprender).
Também era para casa dela que corria quando saía da escola para ir buscar a sopa e o pão e por lá ficava enquanto o meu pai por mim esperava; era à porta da casa dela que brincava nas tardes quentes de verão e era também o corredor dela que sujava a entrar e sair com a bicicleta, deixando sempre a porta "escancarada", como ela tanto dizia!
Era com ela que eu ficava quando os meus pais se ausentavam para Inglaterra e era ela que aguentava as minhas maluquices, saltos na cama e medos de trovoadas..

Era para ela que telefonava na véspera de cada exame importante da faculdade e ainda hoje telefono para dizer "Vó, está a nevar muito à porta da minha casa e não vou poder ir ao hospital" sempre que tenho que fazer análises ouir ao hospital, só para ouvir a sua voz encorajadora e uma daquelas histórias de sempre.

Até pode parecer velhinha, mas carrega-me com ela.

Friday, February 5, 2010

Wednesday, February 3, 2010

Retrato de uma princesa desconhecida

Para que ela tivesse um pescoço tão fino
Para que os seus pulsos tivessem um quebrar de caule
Para que os seus olhos fossem tão frontais e limpos
Para que a sua espinha fosse tão direita
E ela usasse a cabeça tão erguida
Com uma tão simples claridade sobre a testa
Foram necessárias sucessivas gerações de escravos
De corpo dobrado e grossas mãos pacientes
Servindo sucessivas gerações de príncipes
Ainda um pouco toscos e grosseiros
Ávidos cruéis e fraudulentos

Foi um imenso desperdiçar de gente
Para que ela fosse aquela perfeição
Solitária exilada sem destino